mar 252014
 

A pergunta pode parecer difícil, mas não devemos nos intimidar diante desta aparente dificuldade.

Uma imagem que nos aparece é a dos anciões, como se apenas as pessoas com idade mais avançada pudessem se beneficiar dos frutos da sabedoria. É obvio que esta imagem que temos dos anciões é ancorada em fatos concretos, pois a experiência é sempre o maior professor. Mas este fato não justifica ficar apenas esperando o dia em que a sabedoria se revele junto com a idade.

Quanto mais cedo aprendermos certas lições, mais tempo teremos para usufruir da parte boa do processo. É necessário ir em frente e estarmos atentos para conseguir manter uma relação ativa com nossa evolução pessoal em todos os níveis, físicos, mentais e espirituais. Uma virtude que resume muito a sabedoria é a do equilíbrio. Não há sabedoria sem equilíbrio e a construção deste equilíbrio é a própria evolução.

Como ainda vivemos parcialmente em uma realidade dualista, é comum aflorar energias polarizadas em opostos supostamente distintos. Mesmo que de uma perspectiva mais profunda sejam polos diferentes da mesma energia da unidade.

Uma destas aparentes polaridades é entre o Eu e os Outros. De um lado os desejos pessoais e do outro a compaixão pelo próximo. Este é um ponto importantíssimo para nos desenvolvermos a caminho do equilíbrio ideal, já que a sabedoria nasce neste centro, onde não se pende nem para um lado do egoísmo, nem para o lado de apenas servir a interesses alheios.

O amor é infinito, portanto está em todas as faces destas questões. É tão importante o amor pessoal quanto no amor por tudo que está fora do nosso conceito de identidade, o Eu aparente. É neste sentido que um amor onde o foco é excessivamente voltado para os Outros, a ponto de usurpar o amor próprio, demonstra uma manifestação de desequilíbrio e falta de sabedoria. Da mesma forma que um amor focado apenas em si cai nesta mesma armadilha.

Devemos nos concentrar no ponto de equilíbrio, em nossa essência. Na consciência de que, na essência, tudo que existe é igual. Tudo é a mesma essência. É desta essência que emana toda nossa criatividade e força para co-criar e concretizar nossos sonhos e assim realizar todas as missões que nos foram dadas para este plano de existência.

Texto: Joaquim Mutim
Fonte da imagem: http://www.publicdomainpictures.net/view-image.php?image=12572

 Deixe um comentário

Você pode usar estas tags e atributosHTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(required)

(required)

2016 www.joaquimmutim.com Todos os direitos reservados.